quinta-feira, fevereiro 09, 2006

The Fourty-Second

AVISO: o post é grande 'pa caraças!

Depois de meses ao relento, semanas ao frio, dias ao sol, horas de suor, minutos de desespero, segundos de agonia e centésimos de indiferença, mais um post cai do...teclado para...o...uhm...vocês percebem (isto caso ainda haja pluraridade na expressão "colectivo de leitores deste blog").

Como já não há um post a sério há quase 3 meses, resolvi surpreender-vos e escrever antes da dita data.

Yay!
Vêem, afinal até gostaram :)

Bem, depois de quase 3 meses sem narrar por escrito factos da tua vida cujo conhecimento é algo que nos falta indescupavelmente, deves ter grandes epopeias e pequenos ditos de espírito para partilhar connosco!!
Bem, vejo que entusiasmo não vos falta!

Nós estamos mesmo muito felizes!
Bem, que corra bem a vida a alguém :P

Então?
Já escrevo o que se passou.

Estamos à espera, despacha-te! Já viste que horas são?
Vocês é que querem ler isto agora, a culpa é vossa :P

Se é para nos irmos embora, diz... escreve logo.
Calma, calma, ide com calma. Acima de tudo, é preciso não andar em baixo.

Ok, ok, mas despacha-te com isso, que há quem trabalhe.
Tão simpáticos que eles são, mas vamos lá então.

Onde?
Hã?.. Não, não é...deixem estar. Eu já...continuemos!

A fazer o quê?
E se eu escrevesse o post e comentassem depois? Acho que esse modelo tem funcionado.

Sim, sim, okay, e essas coisas...
Muito bem, agora começa o verdadeiro post.


Bem, depois de este pequeno segmento de entrevista que tanto parece agradar a certas camadas da população que opta por me dedicar algum tempo ocular, acho que se impõe que narre. E bem.

Como facilmente terão deduzido, tenho escrito (relativamente) mais no Garrafive de 5 Litros, o meu outro projecto blogo-literário (nada como cunhar novos vocábulos de manhãzinha). E, embora o conteúdo desses posts não esteja ao alcance dos mortais mais sãos, creio que o número de leitores que demonstram um QI (Queficiente de Insanidade, neste caso) elevado o suficiente para o compreenderem (e, no instante seguinte, desejaram que tal não tivesse sucedido) têm feito por manterem tão ou mais frequente a minha participação.

Certamente, estarão agora a interrogar-se, questionar-se e até a ponderar qual será a razão para eu começar por algo tão impessoal como outro blog que escrevo em conjunto com outro indivíduo. De modo muito mais eficiente repararão que não vos dei voto na matéria. Seria fácil observar que o tinha feito: pôr as questões, acusações e exclamações em itálico e em parágrafos dissociados é o método por mim utilizado. E muito bem, diga-se de passagem. E por escrito.

Passemos ao plano profissional, então.
Num semestre demarcado pela inércia, pelo desleixo e pela preguiça em geral, pode-se dizer que tive um aproveitamento de 50% em termos de número de cadeiras às quais obtive aprovação. Portanto, em 6, passei a 3. Tenho nova oportunidade de passar a 2 das disciplinas em que fui reprovado no 1º semestre, neste próximo semestre que se aproxima (como qualquer coisa próxima digna desse nome o faria). A outra fica para o ano, o que até faz todo e qualquer sentido, seja visão, olfacto ou gosto... Bem, com gosto não é de certeza, talvez alguma audição, no entanto.
Será fácil observar que, no 2º semestre, em vez de 6 cadeiras e 4 manhãs "livres", terei 8 cadeiras e 0 manhãs livres. Yep, aulas todos os dias nos dois horários :P
É para lerem no que dá a preguiça :)

Passemos então ao plano emocional que, como seria de esperar, continua o deserto que é 75% das vezes (os 25% que faltam correspondem aos períodos cronológicos ininterruptos durante os quais me encontro em estado de repouso físico, mental e, em alguns casos, psicológico. Sim, porque todos sabemos que há sonhos que nos afectam a psique o resto do dia, nem que sejam aqueles que nos fazem rir à gargalhada sempre que o que quer que seja nos recorda de um ou outro pixel do filme que o nosso subconsciente se prontificou a exibir na sala de cinema que é uma boa noite de sono (não uma noite com sono, isso é uma coisa completamente diferente).

Hehe, aquilo tudo para uma introdução :D

Bem, mas acho que o "curto" parágrafo que usei para introduzir esta temática se apresenta não apenas e somente como introdução, mas ainda e também até como peripécias e desenlace. É que não houve uma única ocorrência que tenha o que quer que seja que me faça poder incluí-la nesta tão agradável parte da minha vida.


Bem, passemos aos jogos :P
Em termos WoW-ianos, o Harthrul continua a sua aventura em Azeroth. Está já a nível 47 e ainda hoje deixou marca em Maraudon, ao lado de camaradas pertencentes à guilda hordiana que é a "Tugas Horde". Bem, ultimamente, as masmorras não têm tido muito bom resultado: continuo sem ter conseguido chegar ao fim de Zul'Farrak, a ida a Uldaman deu para entre 0 e 2 quests (entre as 5 que podia ter feito), e a ida recente a Maraudon só me valeu uma boa tareia nos cornos (mesmo sendo um Tauren Warrior)... digamos que a boss(a) final (feia como tudo), deu uma valente sova à poderosa party...de 3 de que fazia parte (sim, era eu e mais 3 em Maraudon).

Passando ao DMC3, recentemente voltei a pegar a sério no jogo e fiz mais uma missão. Mais um boss morto, portanto... e este era muito idiota. Não irei muito longe na descrição: era uma carroça puxada por um cavalo de feições infernais (crina, cauda e cascos em chamas [o habitual, portanto]) com poderes sobre o tempo... sim, isso mesmo. Obviamente que morri outra vez na missão seguinte e fiquei por aí.

Quanto ao Budokai Tenkaichi, depois de um período de adaptação a uma mecânica de jogo totalmente diferente à do Budokai 3, consegui desbloquear todas as personagens. Agora só faltam uns 3 ou 4 "z-items" e pouco mais.

Focando outro prisma, porque, como evidentemente estarão mais que cognescentes de tal, a vida é uma pilha de prismas e nós uma lente. Daí se dizer que se "foca outro prisma".Bem, não acabei a frase.

Portanto, focando outro prisma, recentemente, no prisma (ora aí está) BattleCattle, incendiou-se uma nova rivalidade (são coisas mesmo muito combustíveis) entre os co-autores do vil blog Garrafive, e a lenha é a discussão do título de campeão de Soul Calibur III. Sim, a lenha.

Bem, como tanto o post e a minha "estadia em frente ao ecrã" já se vão prolongando muito para lá dos limites saudáveis, creio que será uma boa decisão da minha magnânima parte findar aqui a minha mais recente contribuição para o consumo de largura de banda aqui no Blogger.

Então, começo eu. Tenho uma dúvida sobre a parte em que-
Calma aí, agora entrámos na secção dos comentários. Responderei apenas àqueles que usarem o referido método.

Seu grandessíssimo...
Insultar-me não ajuda :P

Bem, fiquem bem, e que o vosso estado de saúde ao acabarem de ler o post sobre o meu triunfante e glorioso retorno à blogosfera seja n (e não m, ou p... ou, indo a um extremo, r) (e sendo n>1) vezes melhor que o em que estavam ao iniciar esta longa odisseia... ou gostisseia... ou amisseia...

Ok, agora saio mesmo.

Adios, muchachos y señoritas. :)

2 comentários:

Daniela (não me lembro do nick...) disse...

como sempre esta linguagem que só tu tens a capacidade e ousadia de usar, encanta-me! Aliás foi digna de ser mostrada ao meu pai (lol) que pareceu gostar... quanto ao teu post, fico triste que dediques mais linhas aos jogos que à tua vida amorosa. um dia ainda vou chegar aqui e ver-te descrever a tua futura noiva. bem, fico por aqui, mas espero que continuemos a nossa amisseia pela vida fora. Beijinhos******

Kromgar disse...

(Bem, podias sempre ter ido ver os outros posts :) é Satyras ;)

Bem, fico satisfeito por haver mais um leitor :)

Quanto aos jogos, bem, uhh, hmm, vejamos, contudo, no entanto, por obséquio, polícia sinaleiro... isto não está a ir a lado nenhum e já me desviei do assunto em questão(!)